quinta-feira, 24 de agosto de 2017

António Guterres destaca «espírito humanista» do escutismo


«O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, enviou uma mensagem aos 40 mil participantes da conferência da Organização Mundial do Movimento Escutista, que decorreu em Baku, no Azerbeijão, tendo sublinhado que "apenas juntos, podemos traçar um caminho comum para um planeta mais sustentável, tolerante, igual e pacífico para as gerações actuais e futuras." Referiu ainda que “Os escuteiros contribuem para a nossa comunidade, protegem o nosso ambiente e ajudam as pessoas em necessidade. E o escutismo ensina a compaixão e torna a sociedade melhor para todos”»

ler mais aqui 

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Revistas “além-mar” e “AUDÁCIA” foram apresentadas na paróquia

Centro de acolhimento num dos bairros centrais da cidade do Maputo
Ir. Alfredo do Rosário

No passado domingo, 20 de agosto, o Ir. Alfredo do Rosário Durão, dos Missionários Combonianos, participou na Eucaristia das 10h30 para falar da congregação a que pertence, mas ainda para divulgar duas revistas — “além-mar” e “AUDÁCIA” —, a primeira destinada aos adultos e a segunda às crianças. No final da missa, falou um pouco da ação missionária dos Combonianos, um pouco por todo o mundo, numa perspetiva de levar a Boa Nova de Jesus Cristo a todos os povos, junto dos quais exercem a sua intervenção religiosa e de promoção humana.
Da curta conversa que mantivemos com o Ir. Alfredo do Rosário, registámos que a Igreja precisa mesmo dos missionários para a ação direta junto das pessoas carentes de tudo. E a revista “além-mar” está imbuída desses propósitos para «dar a voz e a vez aos povos e Igrejas dos países emergentes, merecendo, por isso, a nossa atenção e colaboração, dentro das possibilidades de cada um.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Segredo arquitetónico em Aveiro

Texto e fotos 
do Semanário Ecclesia 


Com as atenções dos turistas centradas nos passeios de moliceiro pelos canais urbanos da Ria de Aveiro e, em menor grau, em espaços como o Museu de Santa Joana, onde está sepultada a filha de D. Afonso V, que é apenas beata, mas é venerada como “santa” por concessão do Papa Paulo VI, as igrejas de Santo António e São Francisco passam despercebidas. São como que um segredo arquitetónico escondido num canto da cidade. Mas valem bem uma visita demorada.
São conhecidas por “igrejas” ou “capelas” de Santo António e São Francisco. O nome correto é Igreja do Convento de Santo António e Capela da Ordem Terceira de São Francisco. Os dois templos, que são geminados, mais as salas anexas e a Casa do Despacho formam um conjunto arquitetónico singular. Por fora, são de linhas simples e diretas. Por dentro, apresentam ricos painéis de azulejos, talha dourada e pintura do século XVII e inícios do seguinte.

domingo, 20 de agosto de 2017

A igreja devia ficar no centro da freguesia

Para memória futura

A igreja antiga

João Catraio
«Alguns dias antes da inauguração e por ordem da comissão e do senhor Prior Sardo fui à missa à capela que se situava na Chave acompanhado de alguns homens, com a missão de transportar as imagens para a nova igreja que ainda nem sequer estava concluída.
Era dia de semana e a missa terminou por volta das 7 horas da manhã. Era ainda noite, portanto, e, talvez por isso, não houve oposição dos vizinhos da capela que, segundo se dizia, não deixariam tirar as imagens nem os objectos de culto. Num outro dia trouxemos os altares, dos quais só se aproveitaram dois porque os outros eram de canto.
Nem desta vez houve barulho como se esperava e alguns vizinhos da capela ainda nos ajudaram a carregar os altares e nos emprestaram cordas. E repare que nesse dia apareceu muita gente.
Trouxemos também o sino que é o pequeno da nossa actual igreja, mas a pedra de ara só veio no próprio dia da inauguração.
Como em tudo, há sempre quem não concorde. Foi o que aconteceu também nessa altura. Os da Chave queriam lá a igreja, os da Cale da Vila queriam-na no seu lugar, mas a verdade é que para servir a todos ela devia ficar no centro da freguesia e ficou mesmo.»

João Catraio, 
em entrevista que me concedeu para ao Timoneiro.
Maio de 1971

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Avança quem descansa



«Como vai passar as suas férias? É a pergunta de economia doméstica e ninguém gasta o que não tem direito. A cada Direito preside um Dever. Divergências em férias avulsas e convergências em trabalhos diários. Tempo de férias quem inventou «isso»? As palavras que cruzamos significam que descansar é querer Servir Melhor. Avança quem descansa. As necessidades básicas têm de ser atendidas com Liberdade.»

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Tolentino Mendonça — Um poema para este tempo


Oração pelas férias

Dá-nos, Senhor,
depois de todas as fadigas
um tempo verdadeiro de paz.

Dá-nos,
depois de tantas palavras
o dom do silêncio
que purifica e recria.

Dá-nos,
depois das insatisfações que travam
a alegria como um barco nítido.

Dá-nos,
a possibilidade de viver sem pressa,
deslumbrados com a surpresa
que os dias trazem pela mão.

Dá-nos
a capacidade de viver de olhos abertos,
de viver intensamente.

Dá-nos
de novo a graça do canto,
do assobio que imita
a felicidade aérea
dos pássaros,
das imagens reencontradas,
do riso partilhado.

Dá-nos
a força de impedir que a dura necessidade
esmague em nós o desejo
e a espuma branca dos sonhos
se dissipe.

Faz-nos
peregrinos que no visível
escutam a melodia secreta
do invisível.

José Tolentino Mendonça

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Segundo Prior da Gafanha da Nazaré: Padre José Francisco Corujo

Para memória futura 

Era rigoroso nas contas 
e cioso nos gastos

O Prior Guerra, de seu nome José Francisco Corujo, nasceu em 17 de fevereiro de 1878, em Ílhavo, tendo sido ordenado presbítero em 12 de julho de 1903. Assumiu a paroquialidade da Gafanha da Nazaré entre 5 de outubro de 1922 e 1948, altura em que fixou residência na sua terra natal. Faleceu em 12 de março de 1963.
Sublinha-se na monografia da paróquia – “Gafanha: Nossa Senhora da Nazaré” – que durante o tempo em que esteve entre nós «deixou um rasto de simpatia». Era uma pessoa bondosa, simples e afável.
«Era rigoroso nas contas e cioso nos gastos. Não quis que se fizesse uma residência nova para não chocar os paroquianos… que, muitos, viviam em palheiros de tábuas…», lê-se na referida monografia.

Laurinda Alves — O stress das férias


«Cada um sabe de si e a casuística de férias é um mundo fascinante, mas há clássicos eternos que podem ser evitados ou, pelo menos, minimizados se as prioridades forem bem geridas em férias. Nomeadamente se formos capazes de desligar telemóveis e computadores, valorizando acima de tudo a qualidade do tempo que passamos com quem gostamos. Este tipo de prioridades também encaixa no planeamento inicial, pois implica uma conciliação estratégica que pode exigir uma conversa prévia com o chefe, na empresa onde trabalhamos. Passa por assumir que em férias não vamos trabalhar ou, no caso imperativo de haver prazos e afins, por estabelecer um par de horas por dia em que ficamos disponíveis para atender telefonemas e responder a mails. Mas não mais que um par de horas.»

Ler a crónica aqui

IX Convívio de Crismados no Jardim Oudinot


35 anos após a celebração, o grupo de crismados da Paróquia da Gafanha da Nazaré voltou a reunir-se no seu Convívio Anual.
O encontro foi no dia 30 de julho e o local escolhido foi o Jardim Oudinot, como habitual, por ser a grande sala de visitas de verão da Gafanha da Nazaré.
Para além das presenças habituais, este ano contámos com Adélia Alves, há vários anos emigrada em França. Os catequistas Fátima Dolores e Hélder Rocha, casal que orientou a caminhada de fé do grupo, também responderam à chamada. 
Foi mais um dia de boas e gratas recordações, num contributo para reunir em fraterno convívio amigos de longos trajetos de formação pessoal e social.
Revigorados pelo convívio, prometemos novo encontro no próximo ano. 

Texto de Hélder Ramos
Foto de Adélia Alves

NB: Guardado nos meus arquivos por motivos de férias.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Escuteiros da Gafanha da Nazaré precisam do nosso apoio


Como é do conhecimento geral, a Paróquia está a construir a nova sede para o nosso Agrupamento de Escuteiros no terreno adquirido para esta finalidade, na travessa do Margaça. Pela sua natureza e pela vontade do seu fundador, Baden-Powell, este movimento é um movimento nacional, internacional e universal que tem como objetivo dotar o mundo de jovens, física, moral e espiritualmente fortes.

Nacional, porque pretende dotar cada nação de cidadãos uteis e válidos.

Internacional, porque a boa relação entre escuteiros não tem fronteiras.

Universal, porque procura incutir o sentimento de fraternidade aos jovens de todas as nações, classes e crenças.

Informações Paroquiais


Semana de 13 a 20 de Agosto de 2017

1 – No dia 15 de Agosto, terça-feira, celebra-se a Solenidade de Nossa Senhora da Assunção. Como é dia Santo, as missas serão como aos Domingos. Na segunda-feira haverá missa vespertina na Igreja da Chave às 17:00 Horas e na Igreja Matriz às 19:00 Horas.

2. – A Câmara Municipal de Ílhavo vai realizar de 11 a 17 de Setembro a Semana da Maior Idade, destinada aos Séniores do Município de Ílhavo. As inscrições para as visitas culturais são na Junta de Freguesia até ao dia 17 de Agosto.

sábado, 5 de agosto de 2017

Informações Paroquiais

Semana de 6 a 13 de agosto



1. – Domingo, reunião do Apostolado da Oração, às 16:00 Horas, na Biblioteca da Igreja Matriz.

2. – A Câmara Municipal de Ílhavo vai realizar de 11 a 17 de Setembro a Semana da Maior Idade, destinada aos Seniores do Município de Ílhavo. As inscrições para as visitas culturais serão na Junta de Freguesia de 10 a 17 de Agosto.

3. – O Bispo de Aveiro publicou esta semana no jornal Correio do Vouga, as novas nomeações sacerdotais para o ano 2017/2018. As nomeações encontram-se afixadas no placar da Igreja. O Padre Pedro deixará de ser Pároco da Gafanha da Encarnação, da Gafanha do Carmo e Vigário Paroquial da Gafanha da Nazaré e irá ser Pároco da Mamarrosa e Bustos e Vigário Paroquial da Palhaça e Oliveira do Bairro. Tenhamo-lo presente nas nossas orações para que seja sempre fiel nesta nova missão de serviço a essas comunidades.

Ver nomeações aqui

Padre Pedro José - Sobre as mudanças dos padres



Pe. Pedro José

COMUNICADO PAROQUIAL: “Sobre as mudanças dos padres”

1. D. António Moiteiro olhando às necessidades da Diocese tornou públicas as diversas nomeações para o ano pastoral de 2017-18. No arciprestado de Ílhavo, vai haver alterações principalmente nas paróquias da Gafanha da Encarnação e Gafanha do Carmo e, indiretamente, na Gafanha da Nazaré. A primeira passará a ter como pároco o Pe Gustavo Fernandes (ordenado, em julho de 2016). A segunda, o Pe Ângelo Silva, que acumulará com a paroquialidade da Praia da Barra e da Costa Nova (este ano completei 20 anos de ordenação juntamente com o Pe. Ângelo e o Pe. Torrão, fomos ordenados juntos em 13-07-1997).

2. Na condição de pároco da Gafanha do Carmo (desde Agosto 2015 e vigário paroquial desde 2013) e da Gafanha da Encarnação (desde Agosto 2015 e vigário paroquial desde 2010) e vigário paroquial da Gafanha da Nazaré (desde 2010), comunico que irei ser pároco das paróquias de Bustos e Mamarrosa (onde trabalhara o Pe Gustavo Fernandes), fazendo a transição até aos fins de Setembro, o que será oportunamente anunciado. Serei ainda vigário paroquial de Oliveira do Bairro e Palhaça, estas paróquias terão como pároco o Pe Francisco Melo, regressado dos estudos em Roma.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Bispo de Aveiro procedeu a nomeações para 2017-2018

Bispo de Aveiro

Ao longo do ano pastoral que se aproxima e para o qual vão ser feitas as nomeações na nossa diocese de Aveiro, pretendemos promover a caridade pastoral como critério identificador do ser e da missão dos respetivos agentes, particularmente dos ministros ordenados, que expressam desse modo o ser e o agir de Jesus, Bom Pastor, que se fez próximo de todos, nomeadamente dos mais fragilizados, e sejam testemunhas do Evangelho da alegria na Igreja em saída missionária.
Os bispos recebem, tal como ensina o concílio Vaticano II, o encargo de servir a comunidade cristã, juntamente com os sacerdotes e os diáconos, e presidir em nome de Deus às comunidades de que são responsáveis, a fim de a missão confiada por Jesus aos seus apóstolos seja continuada pelos pastores que são colocados à frente da sua Igreja (cf. LG 20).